quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

E O VENTO OS LEVOU...

"Tu, ó rei, na visão olhaste e eis uma grande estátua. Esta estátua, imensa e de excelente esplendor, estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível. A cabeça dessa estátua era de ouro fino; o peito e os braços de prata; o ventre e as coxas de bronze; as pernas de ferro; e os pés em parte de ferro e em parte de barro. Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mãos, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se podia achar nenhum vestígio deles; a pedra, porém, que feriu a estátua se tornou uma grande montanha, e encheu toda a terra." Dn 2.3-35

"Mas, nos dias desses reis, o Deus do céu suscitará um reino que não será jamais destruído; nem passará a soberania deste reino a outro povo; mas esmiuçará e consumirá todos esses reinos, e subsistirá para sempre." Dn 2.44

Nabucodonosor, rei da Babilonia sonhou com uma estátua enorme, um grande ídolo.

Enquanto olhava admirado para essa estátua de aparência terrível, uma pedra foi cortada do monte, sem auxílio de mãos, e esmiuçou toda a estátua, transformando tudo em pó; e o vento os levou.

A pedra que feriu a estátua se tornou uma grande montanha e encheu a terra.

Daniel explicou que Deus mostrou o futuro para o rei.

Ao dizer isso, Daniel trouxe à luz a noção de história como um transcorrer onde os eventos se sucedem, e que, portanto, a história não é um eterno retorno.

Os eventos da história são permitidos por Deus, não, necessariamente, determinados por Deus, uma vez que a história de Deus não necessita dessa história da humanidade caída.

A história de Deus não está na estátua, está na pedra.
Pelo contrário, a história de Deus vai colidir com a história da humanidade caída, e fará com que dessa história não fique nem memória. Uma vez que da estátua nada ficou. "E o vento os levou!"

Como a pedra triturou todos os metais que compunham a estátua, a ordem na disposição dos materiais não altera o produto, apenas nos faz ver como a glória da humanidade caída foi desvanecendo.

Na estátua está contida toda a tentativa humana para solucionar as questões que nos são concernentes, sem levar em conta a vontade de Deus.

A humanidade tem 3 (três) questões: 1- qual o sentido da existência (o que é tudo e cada coisa, porque é, para que é, e como é)? 2- como a gente faz para viver junto? 3- como a gente extrai e administra a riqueza do Planeta?

Para responder isso, a partir da estátua, pela humanidade caída, para a pergunta 1, foi criada toda sorte de religião, e filosofia e ciência, mas não se conseguiu vencer a angústia e o suicídio; para a pergunta 2, foi tentada toda a sorte de organização política e social e não se conseguiu vencer a violência, o assassínio e a guerra; para a pergunta 3, foi criada toda a sorte de modelo econômico e não se conseguiu vencer a fome a miséria e a pobreza e ainda estamos a destruir o Planeta.

A Pedra, que é o Reino de Deus, e que é o sinal dos tempos. O único sinal que importa, uma vez que a estátua vai virar pó.

O Reino responde a pergunta 1 dizendo: Devoção: que tudo é de Deus, vem de Deus, e só faz sentido se for vivido em e para Deus , o que só é possível por meio do Senhor Jesus, o Cristo - o Filho, pela ação do Senhor, o Espírito Santo, para a glória do Senhor, o Pai Para a questão 2 o Reino diz: Fraternidade: ame cada um o outro como ama a si, trate o outro como gostaria de ser tratado se estivesse em sua situação (Mt 22.39; Lc 10.30-37). Para a questão 2 diz o Reino: Solidariedade: todo pão tem de ser nosso (de todos para todos), reparta, quem colheu demais não acumule, para que quem colheu de menos não padeça de necessidade (2Co 8.13-15). Ninguém acumule casa sobre casa ou terra sobre terra até ser o único morador do lugar (Is 5.8).

A Pedra é Jesus, o Cristo(Mc 12.10). O Rei do Reino. O povo do Reino é o povo que Ele chama de "a minha Igreja"(Mt 16.18).

E a mensagem do Reino para os que ainda estão na estátua é: "Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos céus." (Mt 4.17)

Arrepender-se é mudar a forma de pensar e de ser.

Arrependimento como ser humano, como ser cultural, como ser político, como ser social, como cidadão, como cidade, como economia, como sociedade, como nação.

Arrependam-se antes que o vento os leve para fora da história de Deus!
  
Autor:
Ariovaldo Ramos
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Todo os comentários serão muito bem vindos desde que seja com responsabilidade. Ao fazer críticas, elogios e sugestões use do bom senso. Não serão publicados textos que não respeitem estas regras.

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Theme Support