domingo, 6 de maio de 2012

É possível que “pessoas boas” acabem no inferno?

Esta é uma questão que apesar de bem explicada no evangelho, muitos cristãos não entendem ou preferem não "entender" (aceitar). Lidam com a mente de que Deus por ser bom, não condena a ninguém.

Ledo engano! O fato de Deus ser bom, implica principalmente em ter que ser justo.

O fato é que todos nós nascemos separados de Deus, destinados ao inferno, e, se não houvesse a intervenção divina, nenhum de nós teria a chance de sair desta condição.

Vejamos o que foi dito:

"
Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados,
nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência.
Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira.
Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou,
deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões — pela graça vocês são salvos.
Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus.
Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;
não por obras, para que ninguém se glorie." Efésios 2:1-9     

Efésios 2: 1-9, muito bem empregado, contextualiza o assunto de forma objetiva, e esclarece em suma. 

Deste ponto de vista é possível contemplar a situação por outro ângulo, o qual inverte a responsabilidade da condenação, evidenciando que todos nós nascemos separados de Deus e rebelados contra Ele, em uma espécie de inferno interior e ao mesmo tempo em um mundo edificado na malignidade onde a lei do reino das trevas é a via de regra.

Costumo tomar como exemplo a dívida externa de um país, que enquanto não é liquidada, todos os seus cidadãos e até os que ali nascem, tecnicamente falando, são inadimplentes.

Entre tantos, cito a Grécia como exemplo do que vou colocar aqui por ser o mais dramático e muito divulgado nos dias atuais. Já falaram até mesmo de privatizá-la. Imagina a gravidade? A  privatização de uma nação significa o fim de sua soberania, além do que seu patrimônio, tudo e todos que a ela pertencer passam a ser propriedades de quem o privatizou, neste caso, o banco mundial.

Semelhantemente, isto aconteceu com Adão ao ser vencido pelo pecado. Ele e tudo o que lhe foi entregue por Deus passou a pertencer a quem o derrotou:

“Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. PORQUE DE QUEM ALGUÉM É VENCIDO, DO TAL FAZ-SE TAMBÉM SERVO. “ 2 Pedro 2:19

E a quem pensa que não é assim, explique melhor o texto abaixo:

“E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo.  E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; PORQUE A MIM ME FOI ENTREGUE, e dou-o a quem quero.  Portanto, se tu me adorares, tudo será teu. “ Lucas 4:5-7

Quem será que entregou o mundo nas mãos do diabo? Somente o homem tinha este direito. Não é a ele que em Gênesis vemos Deus entregar toda a criação para que a sujeitasse pelas mãos de seus descendentes?

Possuindo o homem tudo aquilo que é seu vem junto.  Assim planejou satanás.
Não é sob esta situação que desde então todos fomos e somos gerados neste mundo? Independente da educação, cultura ou índole de uma pessoa, espiritualmente falando o que vigora é sua situação diante de Deus.

A única maneira de mudar a situação da Grécia é pagando sua dívida. Se alguém pudesse fazer isto com recursos próprios não se tornaria seu dono? E não teria ele todo o direito sobre ela? Imagine quão nobre seria tal pessoa que após ter feito isto a devolvesse a seus próprios cidadãos, restaurando-lhes o patrimônio, a dignidade, a liberdade e soberania?

Não foi isto que Cristo fez? Ele quitou a dívida espiritual da raça humana por meio do seu sangue e a devolveu à Deus, e ao reino dos céus nossa pátria eterna. Fez de si mesmo  a porta de fuga do inferno para que todo aquele que tendo aceito o pagamento de sua dívida espiritual pudesse escapar da condenação para habitar no reino do Filho do amor do Pai.

O ponto de vista da maioria nos dias de hoje é baseado em um amor de Deus que nega sua justiça. No entanto, o castigo que caiu sobre Cristo por assumir a condenação do homem demonstra a realidade do juízo de Deus. 

Se por causa da lei Cristo teve que morrer como um maldito sendo ele sem mácula, que fim terão aqueles que ignoram a mesma lei para viverem sem Cristo? 

O fato de Cristo ter morrido não isenta o mundo de seus crimes e consequentemente da sua condenação, mas justifica a todos quanto o recebem como oferta pelo pecado, os quais mortificam a si mesmos pela obediência à Sua doutrina, e assim, mortos para os apelos do pecado que ainda habita na velha natureza humana, tornam-se frutíferos para Deus de tal maneira que pela lei ninguém pode acusá-los. 

Nem poderia, porque estão mortos. Ao passo que todos os que se sustentam na dimensão da condenação, na prática dos pecados, estão sujeitos a lei, a qual determina que o salário do pecado é a morte.

Como sumo juiz Deus tem o dever diante de toda a criação e principalmente diante de sua própria consciência quanto aqueles a quem por causa da sua justiça foram perseguidos, injustiçados e assassinados, os quais não cessam de clamar a Ele por justiça:

“E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram. “ Apocalipse 6:9-11

Se alguém gostaria de saber se realmente os santos que estão no céu oram a respeito daqueles que estão na terra, aí está a resposta. E esta oração que fazem por ser coerente com a promessa de Deus pra eles e pra todos que se mortificam em Cristo.

Este é mais um texto que indica que haverá o derramar da ira do Todo Poderoso sobre todos que insistem sustentar a rebelião de satanás que se manifesta em diversas praticas , as quais são:

“...adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.” Gálatas 5:19-21
  
A ira do todo poderoso não poupará nem mesmo os ímpios mortos do passado deste acerto de contas. Serão ressuscitados e colocados diante do grande trono branco para darem conta de suas más ações realizadas por eles ainda aqui sobre a  terra: 

“E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles. E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.”  Apocalipse 20:11-15

Em momento algum o Senhor Deus poderia se declarar justo caso fizesse vista grossa a estas coisas. 

A principal característica da justiça de Deus em primeira instância é a provisão para que o homem deixe o pecado é a segunda é que Ele não terá o culpado por inocente e nem a mentira por verdade.

Um governo que trata com impunidade e conivência os injustos seja lá por quais razões forem, constitui-se em um tirano e inimigo de seu povo. Qual reino poderá subsistir sobre tais fundamentos? 

Não é por justiça que em vão clamamos às nossas autoridades? Quantos entre nós não são vitimas deste sistema corrupto, ao qual, muitas vezes não temos a quem recorrer?  A injustiça convive conosco todo o tempo, e com ela a impunidade e a isto estamos familiarizados. No reino de Deus não é assim.

Mas Deus revolverá todo o passado como aquele que busca uma agulha em um palheiro, e tudo o que não estiver justificado tratará com o rigor de sua lei e no furor de sua ira.

No entanto, o amor de Deus se manifesta em sua misericórdia provendo um meio para que o homem se livre de seu furor, enviando-lhe o Resgatador a fim de que todos aqueles que nele creem não sejam condenadom, mas tenham a vida eterna.

A condenação do homem se traduz em que a luz veio ao mundo, mas que preferiram as trevas por amarem mais a satisfação a de seus próprios desejos pecaminosos oriundos da sua natureza caída do que a justicaficação do pecado realizado por Cristo na cruz, o qual  é capaz de resgatar da dívida e transformar a criatura rebelada em filho amado de Deus.

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de SEREM FEITOS filhos de Deus, aos que crêem no seu nome”. (João 1: 12)

Se aqueles que creem recebem o poder de serem feitos filhos de Deus, o que são então aqueles que recusam a crer em Cristo? 

“..e éramos por natureza FILHOS DA IRA,...” Ef 2.3
"Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus." João 3:36 (NIV)
Toda esta comunicação implica em algo que tem como propósito final o reino de Cristo. 



Reflexão:

Uma pessoa que em todo o tempo recusou o evangelho preferindo desfrutar das oportunidades que lhe trazem satisfações efêmeras, e por amor a estas paixões ou comodismo negligenciou a oportunidade de mudar sua condição espiritual degenerada, que condições tal pessoa terá de fazer parte  de um reino cuja natureza daqueles que ali estão é puro resultado da submissão ao evangelho de Cristo a qual um dia aceitaram? 

Levar esta pessoa para o reino dos céus seria um estupro à sua própria natureza. Seria também um desrespeito a decisão de tal pessoa e um ato de ditadura divina, e se assim fosse, não teria enviado Cristo como uma opção mas como uma obrigação. O evangelho não seria uma proposta, mas uma imposição.  Assim como é o pecado que não concede escolha, você nasce com ele. 

Não é a morte física que transforma a natureza de uma pessoa, mas o renascimento em Cristo. E este renascimento só é possível enquanto estamos neste corpo.



O que é o inferno?

Considere a condenação eterna como um lugar que Deus criou e dele se ausentou por completo a fim de depositar lá todos os que se recusam tê-lo como Senhor, que não aceitam suas leis como regras e preferem servir a seu próprio ego. Um lugar onde cada um tem a sua própria lei e seus limites são vão além de seu direito, como numa selva entre selvagens  irracionais. Um lugar de total libertação de Deus, de seus princípios e de suas leis. Consequentemente também de seus recursos, benefícios e favores. 
Consegue imaginar em um lugar assim?

Por isso, nenhum de nós, quer sejamos "bons" ou não, podemos acusar Deus de injusto e cruel. Sua parte já  está pronta a muito tempo, restando somente ao homem fazer a sua escolha. 


Uma vantagem que muitos do que são maus tem sobre a maioria dos que são bons:

Eles sabem quem realmente são, reconhecem suas más obras. Para estes, o perdão é o único meio de reconciliação com Deus. Enquanto isto, muitos que são bons fiam em suas boas obras como ingressos ao reino onde somente é possível adentrar por meio do sangue do Cordeiro. 

O sangue é o que introduz até a porta, a porta ao caminho da verdade e a verdade à vida. E todos estes elementos não estão do outro lado, estão aqui. Somente daqui é que podemos acessá-los.

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” Ef. 2:8, 9

Concluo afirmando que céu ou inferno, salvação ou perdição, não se iniciam quando morremos, mas quando somos abordados pela mensagem do evangelho de Cristo. A decisão que tomarmos diante desta mensagem, Deus acatará.

“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna.” João 6:47

“Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.” Jo 3. 18-21

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; “ Romanos 3:23
“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.”
João 10:9

Se você conhece alguém que gostaria de saber sobre este assunto, compartilhe e ajude-me a divulgar a mensagem do evangelho. 

Marcelo Alberto. Grato.
Share:

5 comentários:

  1. Querido irmão Marcelo.
    Este é o questionamento mais antigo que existe.A eterna duvida e questionamento do homem quanto a justiça de Deus.Concordo com você quando afirmas que tudo de fato se define quando nos deparamos com o Evangelho.Evangelho de salvação e não de condenação.Essa é a principal prerrogativa do Evangelho de Cristo."Por que eu vim para buscar e salvar o que se havia perdido."
    Nesse ponto do caminho impreterivelmente necessário nos é fazer a grande escolha.
    Um grande abraço e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  2. Olá irmão Marcelo, tenho uma duvida, quando somos confrontados com o evangelho temos que decidir acreditar e ser salvos ou não crer e aceitar as consequências. Algumas pessoas me perguntam isso mas não sei o que dizer com fundamento na palavra. O que acontece com aqueles que nunca tiveram acesso ao evangelho, como por exemplo os nativos latino americanos antes da descoberta das américas e outros povos como os asiáticos isolados?
    Abraços e a paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  3. Olá David! Esta é uma pergunta que ao longo dos anos tbm tenho ouvido da boca de muitos.

    Veja estes textos?
    “Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma
    e Gomorra do que para aquela cidade.” (Mt 10:15)

    “23 E tu, Cafarnaum, que te ergues até aos céus, serás abatida até aos infernos; porque,
    se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela
    permanecido até hoje. 24 Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de
    Sodoma, no dia do juízo, do que para ti.” (Mt 11:23-24 )

    Vê com clareza que a justiça de Deus opera segundo a revelação concedida por Ele a cada um de nós?

    Outra pergunta: Quem ministrou a Abraão para que tivesse fé? Não foi sua fé que o justificou diante de Deus? E não fé morta, porque pela sua fé praticou obras justas. Não foi o próprio Deus se revelou a ele. Assim também faz a todos nós. O que faz toda a diferença é como respondemos a esta revelação.

    Como isto acontece?

    Romanos 1:18-22:

    18 -Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.
    19 - Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
    20 - Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
    21 - Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
    22 - Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.

    (1.19). Indica que o conhecimento acerca de Deus é revelado na própria vida do homem, na natureza e em toda a criação. Diz mais o texto: "neles se manifesta"

    Isto prova que o homem pode negar ou rejeitar esse conhecimento, mas não evitá-lo.

    No verso 20, o apóstolo Paulo apresenta o tipo de conhecimento que o homem não deve evitar mas, se o faz, é porque prefere viver dissolutamente.

    Se o homem disser que não conhece a Deus porque não o pode ver, por isso não existe, ele se depara com as obras manifestas de Deus: "Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do
    mundo, tanto seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas" (3.20)

    To­das as formas de ateísmos se diluem diante das obras do Deus
    invisível. O mesmo versículo 20 termina com esta expressão: "...para que eles fiquem inexcusáveis".

    Que argumento levantará o homem no Juízo Final? - Nenhum!
    Pois todos os homens são inexcusáveis diante de Deus. A negação da verdade tornas-se um pecado irremediável diante de Deus.

    O fato é que aquele que jamais teve a oportunidade de ter tido contato com o evangelho de Cristo não será redarguido por não ter aceitado a Cristo, mas será julgado pela conciência da revelação pela obra da criação que testemunha todos os dias diante de seus olhos, e pela sua própria existência como criatura de Deus.

    As pessoas usam esta argumentação para constrangerem o mensageiro e justificarem-se diante de sua própria consciência, mas, o fato é quem teve a oportunidade e a negligencia será julgado com rigor maior.

    Conheço uma frase que diz:

    “Hipócrita é aquele sujeito que mata o pai e a mãe,
    mas depois pede clemência alegando ser órfão.” Abraham Lincoln

    A resposta mais prática que você pode usar para estas pessoas é a que o indio lá no meio do nada tem mais chances de ser alcançado por Deus e ser salvo na sua ignorância quanto ao evangelho, do que aquele que com todas as oportunidades e recursos a seu favor o recusa.

    Este se torna indesculpável duas vezes mais, porque além de recusar o testemunho da criação também recusa o da pregação.

    Recomendo que leia novamente Mt 10. 11-15. Talvez faça agora maior sentido.

    Muito obrigado pela participação. Paz seja contigo e um forte abraço.

    ResponderExcluir
  4. A paz de Cristo amado e querido irmão,Olha ao iniciar esta leitura eu me lembrei imediatamente do mancebo rico que aparentemente era um rapaz correto que conhecia as leis porem o principal para ele ser salvo estava diante dele e ele o rejeitou(A MAIOR OPORTUNIDADE CARA A CARA COM ELE O PRÓPRIO SENHOR SALVADOR E REI)ENXERGOU NAQUELE CORAÇÃO MUITA PRETENSÃO E PERFEIÇÃO,RSRSR JESUS VEIO PARA OS IMPERFEITOS HUMILDES DE CORAÇÃO QUE RECONHECEM QUE SAO NECESSITADOS DA MISERICORDIA DE DEUS ,OS SOBERBOS JAMAIS SE DECLARARÃO NECESSITADOS DE ALGO OU DE ALGUEM! ELES QUEREM E SE ACHAM SEMI-deuses .! Misericordia ora vem Senhor Jesus salvar a tua NOIVA! QUERO Q VC VENHA FAZER PARTE DE UM GRUPO NO FACEBOOK CREIO Q SERA UMA OTIMA OPORTUNIDADE DE ESTARMOS JUNTOS LEVANDO E ESCLARECENDO A VERDADE Q ESTA EM CRISTO JESUS,AMANDO E AJUDANDO AS ALMAS QUE SE CONSIDERAM NECESSITADAS DE CRISTO E DE UNIRMOS CADA DIA MAIS COM OS MEMBROS DO CORPO!

    ResponderExcluir
  5. Maravilhoso texto, derruba qualquer hipótese que exista predestinação.

    ResponderExcluir

Todo os comentários serão muito bem vindos desde que seja com responsabilidade. Ao fazer críticas, elogios e sugestões use do bom senso. Não serão publicados textos que não respeitem estas regras.

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Theme Support